sábado, 2 de outubro de 2010

Quem paga a má governação?

Perguntei ao vento de Outono que futuro tinha o meu País.
Ele soprou forte e libertou a raiva dum Povo infeliz:
-Quem paga a má governação deste clã socialista. Desta camada de incompetentes que de DVD riscado tudo atribuem à crise?
Mas este país o que é?
Uma passarelle de vaidades?
Vão gastar-se milhões com as festas duma República que nasceu, tal como a entrada na CE da vontade duns politiqueiros. Nada neste país nasce da vontade do POVO!- Eu estava lá e vi e ouvi os segredinhos"porreiro pá!"
O Povo suporta o aumento de impostos, suporta a desavergonhada ostentação de carros top de gama destes senhores, carros que custam milhões e ninguém sabe para quê; suporta os negócios do Freeport; dos Submarinos; Carros de cobate para enfrentar  moinhos e desertificação; o escandalo Casa Pia; a Face oculta, a penosa e insuportável escada da justiça para o cidadão. Um verdadeiro roubo!
-Estes senhores dizem-se servidores da Nação!
- De que Nação falam? De que País são conhecedores?As figuras que vos governam são verdadeiros mercenários! Não conheço um que abandonasse a actividade igual em bens aos que quando lá entrou.Não conheço nenhum que prescindisse do volumoso naco da reintegração. Não conheço nenhum que prescindisse da dupla reforma.
-Mas sempre se apresentam como servidores do bem comum!
-Servidores da Nação? Servem-se todos do tacho e depois abandonam o país ou sentam-se em poltronas nas empresas mais lucativas do País ou do Estado, auferindo imorais salários. Dizem que é para apertar o cinto, mas estão cada vez mais obesos!
-Isso é da má alimentação, mal têm tempo para comer de tanto falar no Parlamento.
- Sim, sim  deve ser, nada dizem. Dão um exemplo de respeito e honestidade que as escolas nem precisam de formação cívica. Aqui poupavam-se muitas aulas e podia-se aprofundar a arte da oratória. Um exemplo de eleição.
-Eles dizem responsáveis pela Res Pública.
-Dizem-se republicanos mais vivem como nobres. Destronaram o rei, mas comportam-se como reis.Vives num país adiado  de acção. Enojado de Planos de recuperação e crescimento que não chegam a nada!Sopro snojado de políticos que apenas olham para o umbigo, e cobardemente, fogem à responsabilidade.
- Pelo que descreves não há motivo para celebrar a República?!
-Conheço este País e o seu Povo. O País real que conheço de Norte a Sul, mais parece uma prostituta, chulado pela incompetência.
-Então que sugeres?
-A solução não está no corte dos salários, está no corte do supérfulo, no corte dos jeitinhos, nos favores pagos a peso de ouro aos amigos e boys.Na utilização exautiva dos bens e recursos e não no gasto ao desbarato. Alguém sabe o que foi feito das receitas não previstas e que entraram nos cofres do Governo?
Ouvia a canção de Adriano e o vento partiu, doente, na calma da tarde cinzenta.
Coloquei entre as mãos a cabeça e logo senti:
-Meu pais adiado de valores, quem erguerá o estandarte da República?
Da Porca de Bordalo, apenas mudaram os bácaros!


imagem: http://umjardimnodeserto.nireblog.com/file/530293

Sem comentários: