sábado, 18 de dezembro de 2010

Folha levada no rio

A pobreza chegou à política.
O PM disse que não se devia aproveitar a pobreza para fazer campanha política.
Então o que há para se fazer campanha política?
Bem-estar e riqueza? Onde?
Só se for a dele que, por estes lados resta a miséria que os actuais dirigentes deste país  adiado conseguiram . Penso que agora até a pobreza nos querem roubar!...
Quanto valem os nossos políticos para a finança estrangeira? Podíamos vendê-los e pagaríamos pelo menos os juros da dívida.
Ou será que nem pagavam o caderno de encargos?
Afinal a Política também já não encontra embuste  para esconder a pobreza de temas e soluções de que não é capaz de encontrar.
Chegámos à asnocracia ou à onagrocracia e espera-nos a nihilocracia.
Portugal já não existe porque não há uma ideia de Portugal!


Meu país... O que és afinal?
Sombra levada na folha de um rio
Farrapo de um rei que te pariu
Nas margem de Portucale!

Porque continuas adiado
Meu Portugal de Camões?
Será por só teres vilões
Ao teu leme desengonçado?

Oh! Meu Portugal adiado,
 Minha alma perdida na saudade,
Longe chegaste em idade,
Sempre carregando outro Fado.

1 comentário:

Pérola disse...

Olá meu querido.
Vim lhe desejar um feliz Natal com muita paz,muito amor e muita saúde.
Quem sabe o Ano novo que esta se aproximando ñ mude os acontecimentos do mundo trazendo novas perspectivas para nós ñ é mesmo?
Um beijo grande meu amigo e que todos os nossos sonhos possam se realizar.
Felicidades meu amigo querido.
Beijos perolados.